Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

As Sete Portas do Inferno - Sexta Porta: O Protestantismo

Sexta Porta do Inferno: O Protestantismo 


 

O protestantismo é inimigo jurado da nossa Santa Religião. Nega os dogmas mais santos: o Santo Sacrifício da Missa, a Confissão, a Comunhão, a maior parte dos sacramentos, a existência do purgatório, a instituição Divina da Igreja, a autoridade do Papa, a legitimidade do culto dos santos
Neste particular, vai até a caluniar aos católicos, dizendo que adoram os santos, as imagens. Não, mil vezes não! Não adoramos os santos. Adoramos só a Deus. Quanto aos santos, nós os honramos, pedimos sua proteção junto de Deus. Honramos as imagens como sendo os retratos dos santos. 
Que mal haverá nisso? Não podemos honrar o retrato de um pai, de uma mãe, de um benfeitor, colocá-lo em nossa sala, no lugar de honra? 
Se Deus, outrora, proibiu aos judeus que tivessem imagens, é porque os judeus habitavam no meio de idólatras e estavam expostos a cair na idolatria. Foi uma medida disciplinar e passageira. Aliás, o mesmo Deus deu ordem a Moisés que adornasse a arca com imagens de anjos. Se os protestantes não têm outra coisa que nos exprobrar, calem-se; esta acusação cobre-os de ridículo.

É inegável a existência do perigo protestante no Brasil. [Nota do blog: hoje, vemos bem o que representou a "tolerância" com o inimigos de Deus! Em casa esquina uma nova Igreja (seita), uma nova "religião". Antes uma borracharia, um salão de festas ou um bordel... e hoje "templo"!!! E os "pastores"? Surgem do nada, de seminário algum... acordam um dia "ungidos" por aquele deus que criaram para si. Manipulam a verdade, reinterpretam as Escrituras (católicas!!!), inventam doutrinas e criam falsos dogmas.]

Não se deve, porém, temer exageradamente o protestantismo porque ele tem contra si a promessa feita por Cristo à sua Igreja e porque de sua natureza tende a se desagregar, dividir e multiplicar-se. Todas as tentativas de união serão sempre uma paródia da verdadeira união de fé. Ademais o Brasil nasceu, cresceu e vive ainda sob o bafejo santo da Igreja Católica, e não quer ser ingrato às bênçãos celestes, simbolizadas pela constelação bendita do Cruzeiro do Sul. Não se deve, portanto, exagerar o perigo protestante. [Nota do blog: aqui, o bom autor se enganou. Nem mesmo o santo bafejo da Igreja Católica, nem a bendita constelação do Cruzeiro do Sul bastaram para impedir o avanço desse câncer que leva ao ateísmo (vide a Europa!) O Concílio Vaticano II pariu, entre tantos males, a Teologia da Libertação que fez estragos imensos em solo brasileiro. O modernismo fez o resto. Hoje, há tantos abusos litúrgicos, blasfêmias e sacrilégios perpetrados nas igrejas de nosso País, que é de se estranhar que a mão Divina ainda não tenha pesado sobre nós! Graças a Deus, temos pequenos bastiões da Igreja Católica, corajosamente defendidos por católicos fiéis à Tradição bimilenar da Igreja, e que mantêm viva a Fé e a Missa de Sempre, a Missa Tridentina!] .

Mas, doutra parte, não deve ser desprezado ou descurado.

A fé, na verdade, foi prometida à Igreja e não às nações; estas, como os indivíduos, a podem perder; e não padece dúvida que o protestantismo é um sério perigo que poderá ser grave se não se empregarem os remédios aptos e convenientes.

Não se devem desprezar os protestantes, porque são nossos irmãos transviados e cegos. Nem é tática bélica desprezar o inimigo, ainda que aparente fraquezas. [Nota do blog: aqui, por amor à verdade, devemos fazer um aparte. Nosso irmão é quem é filho de nosso pai e nossa mãe. . Nosso Pai é a Santíssima Trindade, nossa Mãe é a Santa Igreja. Por parte de quem os protestantes são nossos irmãos se eles renegam um e outra? E mais, quando eles dizem "Deus" ou "Cristo" ou "Espírito Santo" ou "Bíblia", estão falando do mesmo Deus nosso? Do mesmo Cristo? Do mesmo Espírito Santo? Da mesma Bíblia? A resposta claramente é NÃO! E o motivo é simples: se fossem os mesmos então Eles seriam... mentirosos, porque falam uma Verdade a nós e outra a cada uma das inúmeras denominações protestantes existentes. Bom, pelo Catecismo sabemos que Deus não pode se enganar e não quer nos enganar. Logo, não se trata das mesmas pessoas, da mesma Fé, das mesmas Escrituras. São simulacros, imitações baratas, fraudulentas, com o único fim de enganar as almas crédulas ou desleixadas. Quem estuda o Catecismo... não se deixa enganar tão facilmente.]

Se não se deve exagerar nem diminuir o perigo, é preciso considerá-lo em seu justo limite.

Daí a necessidade de um estudo leal e ponderado sobre as forças e elementos do protestantismo no Brasil. Quanto maior for o estudo, tanto melhor será o combate. [Nota do blog: alguns links com livros do pe. Júlio Maria De Lombaerde: http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2011/12/objecoes-e-erros-protestantes-com-as.html. No blog desse link, encontrarão mais livros deste bom padre].

Devemos combater os protestantes:

Com grande caridade, muita paciência e ardente zelo pela sua conversão; com constante e sólida instrução, do povo nas verdades reveladas; com a prática das virtudes cristãs e com a frequência dos sacramentos; advertindo os fiéis dos enganos; dando bom exemplo; com o sacrifício e orações fervorosas para que todos sejam uma só coisa (Jo 17, 22).

O protestantismo foi fundado por Lutero. Quem era Lutero? Um frade que, depois de passar muitos anos no convento, deixou a vida religiosa, deixou seu hábito e... casou. Com quem? Com uma freira, chamada Catarina, que ele mesmo tirou do convento. Lutero viveu e morreu na crápula, na orgia, no escândalo. [Nota do blog: e... morreu suicida! Sim, certamente, antes de morrer o suicida pode ter-se arrependido... se deu tempo! Mas para alguém chegar a esse ponto, imagine a loucura que habita em sua mente, quantos "fantasmas" carrega, quanta culpa! Como devia ser infernal sua vida para buscar logo o Inferno...] Julgai se Deus pode suscitar semelhante apóstolo para reformar a Igreja ou fundar uma nova religião.

Não discutamos com protestantes, não vamos ao seu culto, nem por curiosidade. Não leiamos suas bíblias, seus folhetos. É pecado mortal ter consigo uma bíblia protestante. Tudo isso expõe nossa fé a naufragar
.

Excerto do Livro "O Pequeno Missionário", do Pe. Guilherme Vaessen. Livro de 1953. Grifos nossos. 


CONTINUA...  


Introdução
1ª Porta: A Impureza
2ª Porta: O Furto
3ª Porta: A Profanação do Dia do Senhor
4ª Porta: A Embriaguez
5ª Porta: A Má Educação dos Filhos
6ª Porta: O Protestantismo
7ª Porta: O Espiritismo 

+
Informe seu e-mail para receber as publicações:   Delivered by FeedBurner.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é eminentemente de caráter religioso e comentários que ofendam os princípios da fé católica não serão admitidos. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se garantem o direito de censurar.