Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de março de 2016

QUE É A TIBIEZA?





 

QUE  É  A  TIBIEZA? 

 


A  tibieza  é  uma  doença  espiritual  e das  mais  graves  e  perigosas.  É  o  ver­me  roedor  da  piedade.  Micróbio  terrí­vel!  Mina  o  organismo  espiritual,  sem que  o  enfermo  o  perceba.  Enfraquece a  pobre  alma.  Amortece  as  energias da  vontade.  Inspira  horror  ao  esforço. Afrouxa  a  vida  cristã.  Espécie  de  lan­guor  ou  torpor,  diz  Tanquerey,  que não  é  ainda  a  morte,  mas  que  a  ela conduz  sem  se  dar  por  isso,  enfraque­cendo  gradualmente  as  nossas  forças morais.  


Pode-se  compará-la  a  estas doenças  que  definham,  como  a  tísica, e  consomem  pouco  a  pouco  algum  dos órgãos  vitais.  É  uma  sonolência,  um sistema  de  acomodações  na  vida  es­piritual.  O  tíbio  não  quer  lutar.  Tem  horror ao  combate  da  vida  cristã.  Não  com­preende  a  palavra  de  Nosso  Senhor no  Evangelho:  Eu  não  vim  trazer  a paz,  mas  a  guerra! 



Guerra  ao  pecado,  guerra  às  paixões, guerra  à  indiferença. Quem  não  é  por  mim,  é  contra  mim! O  tíbio  não  compreende  este  radica­lismo  sublime  do  Evangelho  e  da  Cruz. Numa  palavra  o  define  bem  o  Espírito Santo:  é  morno.  Nem  frio,  nem  quente.  Nem  o  ardor  da  caridade,  o  fogo  do amor,  nem  o  gelo  da  descrença  e  da impiedade  e  da  morte  da  alma. A  tibieza  é  uma  inércia  espiritual. 


Um  estado  lamentável  da  alma. É  a  mediocridade  que  se  contenta com  não  ofender  a  Deus  pelo  peca­do  mortal,  mas  não  quer  evitar  o  pe­cado  leve,  fugir  do  relaxamento  na  vida espiritual.  


 ***

Excerto do livro "A Tibieza - Seus sinais, consequências, remédios" - Mons. Ascânio Brandão



Visite nossos blogs associados:
+
Informe seu e-mail para receber as publicações de VIRTUDES FEMININAS: Delivered by FeedBurner.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blog é eminentemente de caráter religioso e comentários que ofendam os princípios da fé católica não serão admitidos. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se garantem o direito de censurar.