Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Os que respeitam o trato da alma com os próximos... Pe. Manuel Bernardes








" Se vires em algum sujeito acreditado de espiritual e amigo de Deus, asperezas de condição e movimentos de cólera contra os próximos, nem por isso formes logo juízo decretório, de que todas as mais virtudes suas são duvidosas, ou menos que medianas. 

Muitas vezes deixa Deus na sua obra alguma parte por lavrar, por ser assim conveniente para o lavor das mais. Estas verrugas servem para que a alma se não espelhe e remire em si mesma, e a defende da opinião santa para com os outros, a qual é muito gastadora dos progressos da virtude. 

A Madre Francisca do Santíssimo Sacramento, Religiosa Carmelita Descalça no seu Mosteiro de Pamplona foi sujeita de tão raras virtudes e enriquecida por Deus com tão particulares e frequentes favores, que mereceu a sua vida ser assunto de particular história; e só nas visões que teve do Purgatório, achou o V. Prelado D. João de Palafox, matéria para o tomo que intitulou: Luz a los vivos, y desengano en los muertos. E todavia o seu natural era grosseiro, colérico, e mal acondicionado, e lhe foi motivo de grande humilhações; e ainda que muitas vezes pediu com lágrimas a Deus que lhe mudasse a condição em outra mais temperada e suave, lhe foi respondido: Essa te convém. Em ponderação disto, diz o Cronista geral daquela ordem esta sentença [Fr. Francisco de S. Maria t. II, lib. 6, c. 22]: Deus não obra de estampa, nem está sujeito aos aranzéis dos nossos discursos."


Pe. Manuel Bernardes




 
Visite nossos blogs associados:
+
Informe seu e-mail para receber as publicações de VIRTUDES FEMININAS: Delivered by FeedBurner.

2 comentários:

  1. Salve,MARIA Imaculada! Oh,que bela história! Quantos ensinamentoss!A vida dos Beatos e Santos mostram-nós a direção a seguir com firmeza e beleza!

    ResponderExcluir
  2. Salve Maria! Obrigada! Temos que compartilhar boas leituras, elas fazem bem às nossas almas. Viva Cristo Rei!

    ResponderExcluir

Este blog é eminentemente de caráter religioso e comentários que ofendam os princípios da fé católica não serão admitidos. Ao comentar, tenha ciência de que os editores se garantem o direito de censurar.